Adicione o Ache Veículos aos seus favoritos!

Placa Mercosul: Novas alterações previstas para o projeto original da placa Mercosul

Placa Mercosul: Novas alterações previstas para o projeto original da placa Mercosul
Placa Mercosul: Novas alterações previstas para o projeto original da placa Mercosul

O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) concluiu estudo técnico que prevê uma série de alterações no projeto original da placa Mercosul, cuja adoção em todo o país que estava prevista para 30 de junho, deve ser adiada para 31 de dezembro. Lançado no Rio de Janeiro em 11 de setembro de 2018, o novo padrão hoje está disponível em outros seis Estados (AM, BA, ES, PR, RN e RS) e instalado em 2.079.505 veículos, segundo o Denatran. 

De acordo com o estudo, encaminhado a todos os Detrans (departamentos estaduais de trânsito) no dia 09 de maio, o governo federal quer retirar dois elementos de segurança; restringir a emissão da nova placa a carros novos; e alterar regra no cadastro das empresas fornecedoras da placa de identificação veicular.

Confira as principais mudanças que a administração federal pretende aplicar:

Adoção apenas no licenciamento de veículos novos
Hoje, a placa Mercosul é instalada, nos Estados que já adotam o padrão, no registro de veículos novos, na transferência de dono, na troca de município, na troca de categoria do veículo ou na substituição de placa danificada. O estudo diz que haverá "adoção apenas para veículos novos ou quando a placa precisar ser trocada por extravio, furto, roubo ou dano". "Os veículos que já adotaram o novo padrão de acordo com a Resolução 729 não sofrerão qualquer restrição ou ter que mudar de placa", afirma o Denatran. Para quem tiver placa cinza e mudar o município de registro, bastará trocar a tarjeta e o lacre - como já acontece nos Estados que ainda não migraram ao novo formato. A placa Mercosul não tem mais o lacre, substituído pelo QR Code, usado para rastrear o processo produtivo e dar acesso a informações do veículo em fiscalizações.

Detrans assumem cadastro e fiscalização dos estampadores 
A Resolução 729/2018 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determina ao Denatran cadastrar e fiscalizar tanto os estampadores (responsáveis pela inserção dos caracteres alfanuméricos na placa) quanto os fabricantes (produtores da placa semi-acabada). Essa mudança, justifica o departamento, é para "maior agilidade e concorrência".

Retirada da película refletiva dos caracteres da placa Mercosul
A película refletiva já é aplicada nos caracteres da placa Mercosul como elemento de segurança e traz as inscrições "Brasil Mercosul", agora, o Denatran prevê que "as inscrições sobre os caracteres serão 'Denatran', com o padrão de cores igual ao dos caracteres, apenas com a tonalidade diferente, sem efeitos difrativos e sem retrorrefletividade", mantendo a cor dos caracteres conforme a categoria do veículo (preta, vermelha, azul, dourada, cinza e verde).

Retirada das "ondas sinusoidais" 
O Denatran pretende remover também esse item, outro elemento de segurança para prevenir clonagens, o qual funciona como uma espécie de marca d'água, visualizável sob luz forte e em determinado ângulo.

Essas não serão as primeiras alterações. Desde março de 2018, quando o Contran publicou a Resolução 729, regulamentando a nova placa, o dispositivo perdeu uma série de itens de segurança inicialmente previstos: lacre, substituído pelo QR Code; tarja superior em 3D; e a bandeira do Estado e o brasão do município onde o veículo foi registrado. A alegação da gestão anterior do Denatran era baratear os custos.




Fonte: UOL Carros


Postado em 13/05/2019. Alterado em 24/05/2019.